O quão importante são os fatores ESG no Agro

Confio muito nesta revolução. Esse terremoto que veio de encontro com o mercado. Essas três letras que trazem em seu cerne tudo o que deveríamos já a muito tempo ter colocado em prática, poderá nos trazer grandes desafios. Acredito que devemos ser sábios e junto a este antigo conceito, praticar lições apreendidas com crises passadas.

Digo antigo conceito, pois desde sempre a humanidade se viu imbuída em manter no radar o cuidado com o Meio Ambiente, sua Sociedade e com a Governança de nossas vidas pessoais e profissionais.

Estamos vivendo um momento bastante particular, pois necessitamos ter ciência e conhecimento para saber como produzir, alimentar e abastecer a pessoas a nível mundial.

Também entendo que países que consigam alimentar sua própria população e ainda exportar terão grande vantagem. Terão soberania sobre os demais.

Especialmente voltada ao mundo do agronegócio, o tema de predição em toda a cadeia produtiva, deverá ser forte aliado nesta questão, afinal teremos que produzir cada vez mais alimentos e com maior segurança alimentar.

Neste sentido a agricultura brasileira tem grandes perspectivas. Observa-se mais e mais a introdução do conceito ESG dentro de todo o ambiente do Agro. Recebemos cada vez mais pressão externa de investidores para divulgação do desempenho ESG de nossas companhias.

Temos mais e mais clientes interessados em comprar de empresas focadas em sustentabilidade, o que significa que o aumento do público em geral quanto à conscientização sobre sustentabilidade é maior a cada dia.

É notório que parte do setor do agro já vem abraçando iniciativas para combater os impactos negativos que geram em função de suas atividades produtivas e de negócio.

Que fique o alerta e o foco de que para um setor tão estratégico como o Agro, não é possível deixar de considerar os aspectos ambientais, sociais e de governança. Não é uma opção, não é possível ficar de fora. O que vem ganhando manchetes e causando mobilização no mundo empresarial deve ser posto em prática. ESG agora!

 

Cris Baluta

Co-Fundadora Instituto SER e CEO da Roadimex Ambiental

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]

Consumo Consciente e a Pandemia de Coronavírus

A necessidade de pensar coletivamente é tendência há muitos anos e toma ainda mais força em tempos de crise.
Calamidades desse tipo sempre estiveram presentes na história da humanidade e sempre resultaram em transformações importantes para toda a sociedade, mudanças que fazem parte dos nossos dias até hoje. Esses momentos são uma grande oportunidade para que todos reflitam sobre o seu estilo de vida e o quanto ele impacta no mundo, seguindo uma das grandes mensagens deixadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) que fala justamente sobre o quanto mudar uma atitude individual faz a diferença para o coletivo.

É importante pensar no coletivo

Essa atitude de pensar coletivamente favorece ainda mais a reflexão sobre o consumo consciente, ou seja, buscar as melhores escolhas de acordo com o menor impacto que elas podem causar para o indivíduo, a sociedade e o meio ambiente.
Nesse momento é comum surgirem questionamentos: será que eu realmente preciso comprar tantas coisas, se afinal não tenho nem onde guarda-las? Será que preciso de tantas peças de roupas, tantos produtos de beleza? Será que preciso levar o celular para todos os lugares? Será que preciso comprar um carro melhor? Somente o fato de repensar esses hábitos já coloca em jogo o comportamento de ser julgado pelo que temos e não pelo que somos. Afinal, se você precisa comprar mais, você também vai precisar trabalhar mais para manter esse estilo de vida caro, o que impacta diretamente em qualidade de vida, pois vai sobrar menos tempo para aproveitar as coisas simples da vida, que voltamos a valorizar durante esse período de isolamento social. Ter mais tempo para ficar com a família sem se preocupar com o relógio.
Ter mais tempo para brincar com os filhos livremente. Ter tempo para aproveitar o espaço da casa que compramos, mas que nunca podemos aproveitar de fato. A vida simples é possível e saudável, mas exige uma mudança de visão, atitude e de valores, o que envolve a busca por conhecimento pessoal.

Compre somente o necessário
Na hora de comprar pergunte-se: eu realmente preciso disso? Não deixe que a insegurança causada por esse período faça com que você saia comprando itens para estocar em casa, pois se sobrar na sua, com certeza vai faltar na casa de alguém. Compre somente o necessário.
Dê preferência para as empresas locais Outra maneira de distribuir a renda e ajudar os micro e pequenos empresários é dar preferência de compra para esses estabelecimentos. Essa atitude pode garantir que esses comércios não fechem e não demitam seus funcionários, o que vai causar menos impacto na economia como um todo.

Pratique a solidariedade
Aproveite a sua ida ao mercado ou a farmácia para comprar alimentos ou itens de higiene básica para vizinhos que estão no grupo de risco ou pessoas que são mais vulneráveis ao coronavírus. Se possível, opte por fazer as suas compras por algum aplicativo para diminuir o risco de contágio.
E lembre-se, tudo isso vai passar. Use este momento para refletir sobre seu estilo de vida e se possível leve essas transformações para o resto dos seus dias, pois isso vai impactar você, sua família, a sociedade e todo o planeta.

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]